Menu principal
 

HISTÓRICO INSTITUCIONAL – O INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE

Os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, criados por meio da Lei 11.892/2008, constituem um novo modelo de instituição de educação profissional e tecnológica que visa responder de forma eficaz, às demandas crescentes por formação profissional, por difusão de conhecimentos científicos e tecnológicos e de suporte aos arranjos produtivos locais.

Presentes em todos os estados, os Institutos Federais contém a reorganização da rede federal de educação profissional, oferecem formação inicial e continuada, ensino médio integrado, cursos superiores de tecnologia, bacharelado em engenharias, licenciaturas e pós-graduação.

O Instituto Federal Catarinense – IFC resultou da integração das antigas Escolas Agrotécnicas Federais de Concórdia, Rio do Sul e Sombrio junto aos Colégios Agrícolas de Araquari e de Camboriú até então vinculados à Universidade Federal de Santa Catarina.

Atualmente, O IFC possui 15 campi, distribuídos nos seguintes municípios: Abelardo Luz, Araquari, Blumenau (reitoria), Brusque, Camboriú, Concórdia, Fraiburgo, Ibirama, Luzerna, Rio do Sul, Santa Rosa do Sul, São Bento do Sul, São Francisco do Sul, Sombrio e Videira.

O IFC atua em todos os níveis de ensino, contemplando o ensino médio, a graduação e a pós-graduação. A intenção é de que cada campus do IFC atenda as demandas formativas das suas respectivas localidades, contribuindo com o desenvolvimento da sua região.

A partir da perspectiva da gestão democrática, busca-se o diálogo do IFC com a comunidade, a fim de que a educação oferecida pelo instituto atenda às necessidades regionais, bem como efetive a oferta do ensino público, gratuito e de qualidade. Nesse sentido, como parte desse processo de qualificação, foram instituídos programas de bolsas de pesquisa e extensão, para que os alunos possam se envolver com novas atividades e insiram-se no campo da investigação científica e das atividades extensionistas, trazendo um retorno positivo para a comunidade.

 

HISTÓRICO DO CAMPUS AVANÇADO ABELARDO LUZ

Levando em conta sua missão e dentro das normativas legais, o Campus Avançado de Abelardo Luz vem buscando uma intervenção articulada com os movimentos sociais do campo, para desenvolver a sua característica de vínculo também com esse espaço.

Nesse sentido, buscou-se, através da realização de convênios com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST, – tais como com a escola 25 de Maio, em Fraiburgo, por meio da oferta do Curso de Técnico em Agroecologia nos anos de 2008, 2009 e 2010; com o oferecimento do Curso de Pós-Graduação, em nível de Especialização, em Educação do Campo, no Município de Abelardo Luz; e, agora, com o Curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio – uma aproximação política e educacional.

Vale considerar que em Santa Catarina a luta do MST iniciou com a primeira ocupação de terras em 25 de maio de 1985, no Município de Abelardo Luz, que traz em sua história as marcas de muitas lutas e conquistas. Hoje são 22 assentamentos, com aproximadamente 1500 famílias assentadas neste Município. Considerando os municípios vizinhos, num raio de 100 km, somam-se 2400 famílias assentadas na região.

Além de estar em área de concentração de assentamentos da reforma agrária, o Município de Abelardo Luz possui ainda duas áreas Indígenas, fazendo parte do Território da Cidadania. Está localizado em faixa de fronteira com o Estado do Paraná e faz parte da mesorregião do oeste catarinense.

De acordo com dados de 2015, do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), nos assentamentos de Abelardo Luz são produzidos aproximadamente 48 mil litros de leite todos os dias e, anualmente, 17 milhões de litros de leite. Além da produção leiteira, os assentados possuem produção diversificada de alimentos. “São 784 famílias produzindo milho (9 mil toneladas), 604 produzindo feijão (453 toneladas), 652 famílias cultivam mandioca (588 toneladas) e 707 possuem hortas que rendem 107 toneladas de hortaliças ao ano” (fonte: INCRA). Nos assentados também se desenvolvem a piscicultura, onde se produz, anualmente, 86 toneladas de pescados e a apicultura, contando com com 589 colméias, as quais produzem, anualmente, 4 toneladas de mel.

A partir deste desafio, no mês de agosto de 2011, o MST apresentou à Presidente Dilma Rousseff a necessidade de instalação de Institutos Federais nas áreas de assentamento, locais que abrangem um número expressivo de famílias. Houve um comprometimento por parte da Presidente com a implantação de 20 Institutos Federais de modo a atender as demandas do MST nacional, sendo um por Estado. Esta pauta foi reafirmada na Audiência Pública realizada em agosto de 2012 (para acessar a ata da audiência, clique aqui). Em Santa Catarina foi indicado o município de Abelardo Luz para implantação de um Campus de Instituto Federal, por considerar que além desse município a região conta ainda com assentamentos em outros municípios próximos como Passos Maia, Catanduvas, Dionísio Cerqueira, São Miguel do Oeste, que totalizam em torno de 3,5 mil famílias assentadas.

O IFC Campus Avançado Abelardo Luz, inicialmente implementado como Polo de Abelardo Luz do Instituto Federal Catarinense – Campus Concórdia, iniciou suas atividades em 2013, dando prosseguimento à política de expansão da Rede Federal de Educação, Ciência e Tecnologia. No ano de 2015,  por meio da Portaria Nº 27, de 21 de janeiro de 2015 (para acessar o documento, clique aqui), passou a ser denominado “IFC Campus Avançado Abelardo Luz”, vinculando-se diretamente à reitoria do IFC, em Blumenau. A partir do ano de 2018, o “IFC Campus Avançado Abelardo Luz” voltou a se tornar um campus avançado do “IFC Campus Concórdia”.

A sede do campus está situada no Assentamento José Maria, o qual está localizado a aproximadamente 30 km de distância do centro da cidade de Abelardo Luz. Este campus é fruto da conquista efetivada, por meio de Audiências Públicas, pelos trabalhadores do MST, juntamente com os poderes políticos municipais e estaduais, da comunidade, das universidades e do próprio IFC.

Atualmente, o campus possui:

⇒ Curso de Licenciatura em Pedagogia – com ênfase em Educação do Campo;

⇒ Curso de Qualificação Profissional – Formação Inicial em Canto Coral;

Curso de Qualificação Profissional em Educação do Campo;

Curso de Qualificação Profissional – Produtor de Plantas Aromáticas e Medicinais;

Curso de Qualificação Profissional – Nutrição e Segurança Alimentar – PROEJA Ensino Médio;

⇒ Curso Técnico em Agropecuária Concomitante ao Ensino Médio;

⇒ Curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio;

Especialização em Educação;

Especialização em Educação do Campo.

 

 

Informações atualizadas em 05/10/2018